Das praias cariocas à Bossa Nova – Os 21 anos da Morte de Tom Jobim

display

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, nascido no Rio de Janeiro, em 1927, é considerado um dos maiores expoentes da Música Popular Brasileira e também um precursor da Bossa Nova.

 Compositor, cantor, pianista, maestro, Tom se fez firmar no cenário artístico nacional fazendo o que mais amava: música.Filho de pai ausente, transferia toda essa carência em melancolia e romantismo para suas composições. Suas canções tornaram-se símbolos de toda uma geração. A década de 1950 marca o aclive da carreira de Tom como compositor através de seu primeiro sucesso,Tereza da Praia, em parceria com Billy Blanco. Fez parcerias também com outros grandes nomes da música brasileira como Vinícius de Moraes e Dolores Duran com quem compôs a canção Se é por Falta de Adeus, interpretada por Dóris Monteiro.

A Bossa Nova consolida-se enquanto estilo musical em 1959, quando a música Chega de Saudade, interpretada por João Gilberto e arranjos de Tom, marca definitivamente os novos rumos da Música Popular Brasileira.Em 1963, Tom Jobim e Vinícius de Moraes lançam a música que marcaria a principal parceria entre os dois,Garota de Ipanema,que teve como musa inspiradora a jovem carioca Heloísa Pinheiro, então com 18 anos, que só ficou sabendo que servira de fonte de inspiração para a bela canção anos mais tarde. A parceria entre Vinícius e Tom rendeu outras 50 composições.

Vinicius de Moraes foi também intermediador do encontro de Tom Jobim com Chico Buarque, com que também fez parceria. Juntos compuseram várias canções. Entre elas estão Retrato em Preto e Branco, canção que deu à dupla a vitória no III Festival Internacional da Canção. Deste festival também participou Geraldo Vandré com Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores

Nos Estados Unidos, Tom Jobim gravou com o grande mito americano Frank Sinatra o disco Francis Albert Sinatra & Antônio Carlos Jobim. Disco este que contém versões em inglês de composições de Tom, inclusive Garota de Ipanema (The Girl From Ipanema.Seu último álbum,Antônio Brasileiro, foi lançado pouco antes de sua morte. Tom Jobim estava internado no Hospital Mount Sinai em Nova York, enquanto se recuperava de um câncer de bexiga. Faleceu na manhã do dia 8 de dezembro de 1994. E 20 anos depois de sua morte, o país foi palco de inúmeras manifestações artísticas que relembravam a vida e carreia do grande musicista.

O projeto Nivea Viva Tom, que homenageou o cantor em 2013 com uma turnê por todo o Brasil, onde a cantora Vanessa da Mata emprestou sua voz para trazer ao público as belas canções da Bossa Nova de Tom Jobim. A turnê culminou para Vanessa em um outro projeto, o álbum Vanessa da Mata canta Tom Jobim, que contou com a participação do arranjador Eumir Donato, que trabalhou com Tom. Chitãozinho & Xororó, grande dupla da música sertaneja também regravaram composições de Tom Jobim, no álbum Tom Sertão (2014), que este ano ganhou também uma versão em vinil.

Uma estátua de Tom Jobim foi inaugurada em sua homenagem. Localizada na Praia do Arpoador, é uma obra da Prefeitura do Rio de Janeiro. Em novembro deste ano, uma câmera de monitoramento capturou o momento exato em que um garoto se aproxima da estátua e, parte do violão que Tom Jobim trás no ombro, se desprende na mão do rapaz. A Prefeitura não considerou vandalismo.

Em 2014 também fora anunciado o lançamento material inédito de Tom Jobim, entre os quais estão os bastidores da gravação do álbum Elis & Tom (1974), em Los Angeles e também os shows de lançamento no Rio de Janeiro e em São Paulo. Um total de cinco horas, dirigidas pelo produtor Roberto Oliveira, que nos anos de 2000 a 2005 foi vice-presidente e atualmente é diretor de programas e especiais na emissora TV Bandeirantes.

Tom casou-se por duas vezes.  Thereza, a primeira esposa, esteve ao lado de Tom por 29 anos e tiveram dois filhos. Outros dois filhos foram gerados da união de Tom e Beatriz Lontra. O casamento durou vinte anos, até o dia de sua morte. Se estivesse vivo, completaria 89 anos em 25 de janeiro próximo.

 

 

Fonte: http://www.dm.com.br/cultura/2015/12/das-praias-cariocas-a-bossa-nova.html

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*


%d blogueiros gostam disto: