Fundação está arrecadando dinheiro para ambulantes de Ipanema

Ambulantes estão entre os mais afetados pelo covid-19. Foto: Reprodução
Ambulantes estão entre os mais afetados pelo covid-19. Foto: Reprodução

Segundo uma matéria publicada no G1, os ambulantes de Ipanema estão entre os mais afetados pelas medidas restritivas na Cidade do Rio, já que a clientela não está mais nas ruas devido a pandemia do coronavírus. Para solucionar este problema, a Ame Digital está arrecadando doações que vão destinar o dinheiro para os credenciados para o carnaval de rua 2020, enquanto outros para vendedores de Matte, biscoito O Globo e quiosques.

Conversando com o vendedor de Matte Leão Wesley do Nascimento Conceição, 27 anos, ele diz que sua principal preocupação é a filha de quatro anos, que tem uma doença crônica na pele e precisa passar pomadas manipuladas.

“Eu como pai fico muito triste de não poder dar um tratamento a altura da minha filha e dar uma amenizada nessa situação. É um momento desesperador. Infelizmente não estou com condições no momento de comprar todos os produtos e, por isso, se agravou” – disse.

Atualmente ele está se mantendo com a colaboração dos clientes com doações e campanhas, e caso queira ajudá-lo diretamente basta entrar em contato com ele com a conta do Instagram. Até então, ele tirava mensalmente cerca de R$ 3 mil.

“Se não fosse a quarentena, o coronavírus não ia fazer com que eu deixasse de trabalhar por causa das necessidades. Não é questão do medo, porque eu tenho, mas é questão de necessidade. Ficara em casa é essencial, mas ficar em casa sem renda? Como vamos suprir nossas necessidades?”

Outro entrevistado foi o Paulista, também vendedor de Matte, que está com dificuldades em sustentar sua casa. Apesar de ter uma propriedade em seu nome, ele conta que sua renda caiu de R$ 2.000 para R$ 400 e diz não saber como vai fazer para pagar as contas no mês que vem.

O último ambulante é Patrick Pinheiro, que para tentar contornar o problema passou a vender seus produtos pela internet.

“Minha fonte de renda era a praia e eu dependia só dela. Agora, eu vou ter que procurar alguma entrega para fazer. Eu tenho uma filha de 1 ano e 5 meses e eu não posso ficar parado” diz Pinheiro, que está pedindo ajuda através do sistema de financiamento coletivo “Vakinha“.

Aqueles que quiserem ajudar os ambulantes de Ipanema através da Ame Digital, podem acessar o site oficial e baixar o aplicativo para iOS e Android.

1 Trackback / Pingback

  1. Taxistas auxiliares recebem cestas básicas no Riocentro

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*