Baía de Guanabara está com águas cristalinas e tartarugas nadando nesta época de isolamento

Foto: Reprodução

Após Veneza também estar com águas mais cristalinas durante este período de isolamento social, agora é a vez da poluição da Baía de Guanabara diminuir consideravelmente. Já é possível ver tartarugas nadando próximas à margem.

Imagens gravadas pelo Instagram do Safari_Virtual próximo ao Aeroporto Santos Dumont mostram a água cristalina e, segundo o homem que a filmou, ele nunca viu a Baía tão limpa.

View this post on Instagram

A Baía de Guanabara tem seu minuto de fama em um dos cartões postais mais bonitos do mundo. Situada na região metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil, na área próximo ao aeroporto doméstico Santos Dumont, onde geralmente a água é suja, um anônimo gravou esse vídeo. De forma admirada ele fala sobre a limpeza, mesmo que momentânea, da Baia nos tempos de Coronavirus. Coincidências ou não, as Tartarugas-verdes (Chelonia mydas) desfrutam livremente de seu paraíso. . Fonte: Autor anônimo. . #baiadeguanabara #riodejaneiro #brasil🇧🇷 #brazil #safarivirtual #tartarugamarinha #projetoaruanã #oceans #oceanoatlantico #savetheplanet #fiquemcasa #stayhome #coronavirusbrazil @projetoaruana

A post shared by Projeto Safari Urbano 🐢🌎🐱:. (@safari_virtual) on

“A Baía de Guanabara tem seu minuto de fama em um dos cartões postais mais bonitos do mundo. Situada na região metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil, na área próximo ao aeroporto doméstico Santos Dumont, onde geralmente a água é suja, um anônimo gravou esse vídeo. De forma admirada ele fala sobre a limpeza, mesmo que momentânea, da Baia nos tempos de Coronavirus. Coincidências ou não, as Tartarugas-verdes (Chelonia mydas) desfrutam livremente de seu paraíso.”

De acordo com uma matéria na revista Cláudia, a relação da limpeza da água e a presença dos animais está diretamente associada com a ausência dos humanos.

No entanto, um especialista entrevistado pelo Vix.com afirma que não há relação com a quarentena. Para o coordenador do Laboratório de Hidrobiologia da UFRJ, Rodolfo Paranhos, a condição está ligada ao movimento das marés.

“Os ciclos de maré diários têm influência na qualidade das águas na baía. Estivemos em ciclos de maré cheia, e a gravação certamente foi feita em um momento de maré alta e águas mais claras. Costumamos usar essas situação de ‘melhora’ de poucas horas como exemplo do que poderia acontecer se os esgotos fossem tratados”.

Paranhos também diz que se a filmagem tivesse sido feita algumas horas depois, o cenário seria completamente diferente e que, mesmo com a Baía de Guanabara poluída, não é incomum ver animais como tartarugas.

Já a poluição da Baía se dá com o despejo de dejetos de esgoto, muitas vezes ilegal.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*